Nova Pádua

No início de 1886, sete famílias do Vêneto, Itália, chegaram no Rio Grande do Sul para habitar a 16ª Légua do Campo dos Bugres, hoje Nova Pádua. Eram as famílias de Francisco Mantovani, comerciante; Carlos Montavani, seu irmão e professor; João Zanini, ferreiro; Pedro Sartor, Francisco Menegat, Pascoal Pauleti e Pedro Menegat, estes agricultores.

Já em 1890 todas as 307 colônias estavam tomadas por imigrantes que fugiam da miséria que assolava a pátria-mãe, a Itália. Todos provinham das várias cidades da província do Vêneto e vinham para buscar o seu desenvolvimento, vinham para vencer. Em 02 de julho de 1888 tivera a primeira missa, rezada pelo Padre Alexandre Pelegrini. Em 07 de junho de 1890 foi benta a Imagem de Santo Antônio de Nova Pádua e desde então a 16ª Légua tomou o nome de Nova Pádua.

Em 27 de dezembro de 1892, Nova Pádua recebeu seu primeiro Padre na pessoa do Padre Giuseppe Candido Dalmazzi. Devido ao seu rápido desenvolvimento, Nova Pádua foi promovida a 4º Distrito de Caxias do Sul, no dia 13 de abril de 1904, pertencendo a esse município até 1926, quando foi incorporada ao novo município de Nova Trento-Flores da Cunha. Como distrito deste município, Nova Pádua conseguira melhorias como escolas, estradas, pontes e eletrificação rural.

Em 10 de novembro de 1991, a população de Nova Pádua decidiu se emancipar através de plebiscito. Sua criação como município foi decretada em 20 de março de 1992, pelo então Governador Alceu de Deus Colares.